fundo

Cravo na Carne – fama e fome

A fama e a fome

Cravo na Carne, de Alberto Camarero e Alberto de Oliveira, conta a história das faquiresas brasileiras

Na primeira metade do século XX, mulheres belas e sensuais arriscaram suas vidas em performances escandalosas Brasil afora. Praticavam jejum por semanas, e até meses, trancadas junto com cobras em caixas de vidro, deitadas sobre pregos, expostas à imensa curiosidade popular. Isso em uma época em que bastava uma mulher optar por carreiras como as de atriz e cantora para enfrentar o preconceito e o moralismo.

Vedetes e transgressoras, as faquiresas brasileiras têm agora suas histórias contadas pela primeira vez no livro Cravo na Carne, que a Veneta lança em agosto. Com uma pesquisa minuciosa em publicações da época, os autores Alberto Camarero e Alberto de Oliveira revelam uma dimensão pouco conhecida da cultura e do showbusiness nacionais e mostram como mudou a imagem da mulher brasileira ao longo do século XX.

O livro conta a trajetória de 11 mulheres que chocaram e seduziram a opinião pública. Figuras como Verinha, Suzy King, Rose Rogé, Zaida, Rossana e Marciana, mulheres que ganharam notoriedade com suas provas de jejum até meados dos anos 1960

A pesquisa, que durou mais de três anos, teve como principal fonte de informações os jornais e revistas da época, que tratavam as faquiresas como verdadeiras celebridades. Apesar de ser um assunto amplamente divulgado na mídia, de forma glamourosa, a atividade se tornou um tabu para herdeiros e familiares. “Essas mulheres e esse assunto são totalmente malditos, abominados por todos os envolvidos. O circo em si já está à margem da sociedade, e o faquirismo é uma arte marginal dentro do próprio circo”, afirma Alberto de Oliveira.

Com trechos das publicações da época e um rico material iconográfico, o livro faz o retrato de um Brasil praticamente desconhecido.


Preço: R$ 54,90

  • Autores: Alberto Camarero e Alberto de Oliveira