v-de-veneta

Em breve, a 2ª temporada do V de Veneta no Youtube. Inscreva-se no nosso canal

Endereço: Rua Araújo, 124, 1º Andar, São Paulo          Tel.: +55 (11) 3211-1233          Horário: Seg. à Sex., das 9h às 19h.

A musa dos vampiros

Siga-nos

Lizzy Siddal, que Alan Moore menciona em “Holborn”, no livro A VIDA SECRETA DE LONDRES, é Elizabeth Siddal (1829-1862), pintora, poeta e musa de diversos pintores pré-rafaelitas. Ela é a modelo de Ophelia, de John Everett Millais, a mais célebre representação de Ofélia, a infeliz noiva de Hamlet.

Siddal era casada com o também poeta e pintor Dante Gabriel Rossetti (1828-1882). Neil Gaiman retratou o casal Lizzie e Dante Rossetti no episódio “Como eles se encontraram”, da série Sandman.

Quando Siddal morreu, o marido colocou em seu caixão papéis com vários poemas inéditos dedicados a ela. Passados alguns anos, Rossetti, em crise de criatividade, quis reaver os poemas e fez desenterrarem o caixão da mulher.

Elizabeth Siddal teria sido também a inspiração para a personagem Lucy, do Drácula de Bram Stocker. A lenda diz que Stocker teria presenciado a exumação do cadáver de Siddal, e que seu corpo não teria se decomposto mesmo depois de anos enterrado. A artista estaria linda e pálida, como era em vida, e seus cabelos vermelhos teriam continuado a crescer.

Aliás, seu marido, Dante Rossetti, era sobrinho do Dr. John Polidori, criador de O Vampiro (1819), o primeiro livro sobre o assunto. Seja como for, Elizabeth Siddal tornou-se uma referência fundamental para a iconografia vampirística.

 

 

LIVROS RELACIONADOS

Você também vai gostar

PREFÁCIO de ALEISTER CROWLEY por Richard Kaczynski Ilustrações: Cenas de ALEISTER CROWLEY Dizem que você jamais se esquece do primeiro amor. O...
Por Ronilso Pacheco da Silva* No Brasil, a estrutura social e de poder está profundamente marcada pelo colonialismo, pelo escravismo e...
Autor de Esporte é de matar, Ben Passmore é uma nova voz do anarquismo negro norte-americano. Para marcar o lançamento...
Por Rogério de Campos * Não entendi a primeira história em quadrinhos do Marcello Quintanilha que eu li. Na época,...